RIO LARGO GANHA COM A CASA DA INCLUSÃO DIGITAL SOLIDÁRIA – CIDS

Publicado: 16 de fevereiro de 2013 em CIDADANIA, CULTURAL, Educação, Inclusão Digital, Mensagem Pessoal, Organizações, RIO LARGO - AL
Tags:,

RIO LARGO GANHA COM A CASA DA INCLUSÃO DIGITAL SOLIDÁRIA – CIDS

A ORIGEM DO PROJETO:

Nascido da vontade e do desejo solidário de promover mudanças significativas na vida da comunidade do município de Rio Largo (AL), o projeto da Estação Digital “Casa da Inclusão Digital Solidária – CIDS” é hoje uma realidade mais que palpável na rotina da cidade.

Fruto da união de parcerias entre a Casa de Ação Solidária de Alagoas – CASA e a Fundação Banco do Brasil, contando com o apoio da Prefeitura de Rio Largo e da Câmara de Diretores Lojistas da cidade, além de voluntários que atuam na iniciativa, que é a primeira desta natureza em atividade no município.

A ONG “CASA” é a responsável pela concepção, planejamento, implantação e gestão do projeto em Rio Largo. Foi através da ação direta dos seus dirigentes, Edimilson Marinho (Presidente) e do Professor Luiz Sálvio (Vice-Presidente), que o projeto foi concebido para o atendimento do município.

O presidente da CASA, Edimilson Marinho, conta que: “Ao pesquisar sobre os números da inclusão digital no Nordeste do Brasil, e mais especificamente em Alagoas, fiquei estarrecido com a situação que constatamos, pois do ponto de vista do analfabetismo digital, Alagoas também possui uma posição de destaque, lamentavelmente, quando comparada aos demais estados brasileiros. Como a CASA, desde a sua fundação, adotou o município de Rio Largo como ponto de início dos seus projetos de fomento ao Desenvolvimento Econômico e Social Local, Integrado e Sustentável, decidimos que a inclusão digital, ao lado de uma ação voltada para o combate ao analfabetismo, tanto o funcional, quanto o digital, bem como, o fomento do empreendedorismo e o acesso ao microcrédito, seriam as linhas fundamentais de atuação da CASA junto às comunidades existentes no município de Rio Largo”.

Para a viabilização do Projeto de Inclusão Digital, foi primeiro realizado um diagnóstico local, e, só após a análise dos dados pesquisados, é que o projeto, que recebeu a denominação de “Casa de Inclusão Digital Solidária – CIDS” foi concebido pelos dirigentes da CASA. Para viabilizar a sua implantação, a CASA foi em busca de parceria com o Banco do Brasil, que através do programa do Desenvolvimento Local Integrado e Sustentável – DRS, uma estratégia de atuação do banco, sinalizou com o interesse de apoio a iniciativa da Inclusão Digital em Rio Largo. Mas só após uma longa parceria, que envolveu também o apoio da CASA a estratégia do DRS em Rio Largo, tendo como primeira etapa o fomento ao artesanato local, é que o Banco, através da Fundação Banco do Brasil – FBB aprovou o apoio ao projeto da Casa de Inclusão Digital Solidária – CIDS.

Com o apoio da FBB, a CASA obteve os recursos para a aquisição de 10 (dez) microcomputadores pessoais e 01 (um) servidor, equipamentos de última geração e com alto desempenho, além de nobreaks e roteador, para a instalação da rede lógica interna da CIDS, além do apoio temporário para o uso da internet.

AUTOSSUSTENTABILIDADE E INCENTIVOS FISCAIS PARA PARCEIROS DO PROJETO:

“O projeto foi planejado para ser autossustentável, pois mesmo buscando parcerias para o seu desenvolvimento, o que de fato garante a sua continuidade ao longo do tempo é a sua própria capacidade em gerar recursos para o custeio de suas ações”, afirma o dirigente da CASA, Edimilson Marinho.

Empresas e pessoas físicas também podem se associar ao projeto, realizando parcerias e viabilizando doações de recursos, contanto para isto com a legislação tributária brasileira, que incentiva às empresas a fazerem doações aos projetos sociais, bem como também, há incentivos fiscais para que às pessoas físicas, que são tributadas pelo imposto de renda, contribuam para o projeto, obtendo assim, desconto da alíquota devida à receita federal.

“Aqueles parceiros, empresas e pessoas físicas, que se tenham interesse em fazer contribuições financeiras para o desenvolvimento do projeto de inclusão digital, podem fazê-lo através do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente em Rio Largo, pois esta é a via legal ideal para o apoio a este projeto, e que também, garante plenamente o recebimento dos incentivos fiscais previstos na legislação, além da total transparência e fiscalização na aplicação final dos recursos investidos”, disse o presidente da CASA, Edimilson Marinho.

Os parceiros podem visitar o projeto e assim conhecerem os benefícios que a inclusão digital pode propiciar para o desenvolvimento de suas empresas, de seus funcionários e também da comunidade em Rio Largo.

A ADOÇÃO DO SOFTWARE LIVRE LINUX UBUNTU:

“A CIDS adotou em suas atividades de inclusão digital a tecnologia do software livre, através da distribuição do Linux Ubuntu, de modo a permitir o amplo acesso gratuito às ferramentas digitais utilizadas junto à comunidade, empresas e empreendedores sociais. A licença do Sistema Operacional baseado no Linux é Livre, ou seja, é Gratuita e de Livre Acesso a Todos, sem a necessidade do pagamento de licenças caras para a utilização dos programas desta plataforma. Outro importante benefício proporcionado pelo uso do Linux, é que, por não possuir o chamado “executável”, ele é selado contra os vírus que infestam diariamente as máquinas que trabalham com o sistema pago Windows, e que chegam a causar danos graves nos computadores e na internet”, justifica Edimilson Marinho.

A CIDS FOI INAUGURADA EM PRÉDIO HISTÓRICO NO DIA DA EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DE RIO LARGO:

Inaugurado no dia 13 de julho de 2012, data em que se comemora a emancipação política de Rio Largo, tendo como parceira a prefeitura municipal, que concordou em ser o parceiro “abrigador” do projeto no prédio sob sua locação, de grande valor histórico e cultural para Rio Largo, o antigo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Fiação e Tecidos de Rio Largo, localizado na Avenida Teixeira Bastos, s/nº, Centro, próximo da também histórica Praça Padre Cicero. Segundo Edimilson Marinho: “A escolha da antiga sede do STIFT foi motivada, tanto pelo seu valor histórico e cultural, quanto pela sua proximidade estratégica a várias comunidades em estados de aguda vulnerabilidade social, como é o caso de moradores no popular conjunto Mutirão, nas comunidades do Cucaú I e II, Vila Municipal, Antigo Matadouro, entre outras localidades. A Estação Digital também está próxima de diversas escolas públicas, vários órgãos governamentais, associações de moradores, igrejas, empresas comerciais, agências bancárias e dos correios, e em área de ampla acessibilidade a todos os transeuntes, bem como, fora da área de risco para a ocorrência de enchentes eventuais do Rio Mundaú”.

PARCERIA COM O PROGRAMA JOVEM INFRATOR, BENEFICIARÁ ADOLESCENTES E JOVENS:

A CIDS está formando novas parcerias. O Programa Jovem Infrator é um destes novos parceiros escolhidos. A CIDS tem a finalidade de também contribuir com as famílias cujos adolescentes e jovens, tenham problemas com a justiça da infância e da juventude, por haverem cometido algum delito. Medidas socioeducativas de ajuda a estes adolescentes e jovens, poderão ser desenvolvidas através da utilização da CIDS, envolvendo as equipes responsáveis pelo programa, com o acompanhamento do Ministério Público e dos conselhos da política pública específica para esta faixa etária.

“Rio Largo tem sido muito deficiente no apoio ao Programa do Jovem Infrator, estando o município com a necessidade de viabilizar com urgência os meios para que às medidas socioeducativas previstas pela justiça, sejam cumpridas através do uso de equipamentos públicos adequados, ou através da rede privada de entidades preparadas para prover o atendimento desta importante demanda social, como é o caso da CIDS”, afirma Edimilson Marinho.

A TERCEIRA IDADE TAMBÉM SERÁ ATENDIDA PELA CIDS:

Outra importante meta do projeto é o atendimento dos idosos. Segundo Edimilson: “Em Rio Largo, ainda há muitos idosos vivendo esta importante fase da vida sem o devido apoio ao convívio social e familiar. O que atenta contra os vínculos familiares e sociais. Impede o convívio com outros idosos e com os membros da comunidade de outras faixas etárias”. A CIDS irá promover e buscar parcerias com a Secretaria Municipal de Assistência Social, com o Conselho Municipal de Assistências Social e o Conselho Municipal do Idoso, para que através do Sistema Único de Assistência Social – SUAS, o idoso venha a ser atendido nas ações de inclusão digital e de fortalecimento de vínculos sociais promovido no ambiente de integração comunitária da CIDS.

“É preciso envelhecer com qualidade de vida. A Terceira Idade não é o fim da história, mas um período importante e de grande valor para toda a sociedade. Vivencias, memórias e conhecimentos culturais preciosos, que devem ser aprendidos pelas novas gerações são melhor ensinados por aqueles que se doutoraram na maior de todas as instituições de ensino, a Universidade da Vida”, afirma o presidente da CASA, Edimilson Marinho.

BUSCA DE PARCERIAS COM SENAC, SENAI, SEBRAE E UNIVERSIDADES BENEFICIARÁ O TRABALHADOR E OS EMPREENDEDORES:

O trabalhador e o empreendedor, também terão a oportunidade de se reciclar através da CIDS, pois estão em andamento conversações com o SENAC, SENAI e SEBRAE, para que no âmbito do PRONATEC, sejam promovidas capacitações para aqueles trabalhadores e empreendedores que precisam se reciclar, ou mesmo, para os que ainda não têm uma profissão e necessitam entrar no mercado de trabalho.

“Estamos buscando a parceria com as entidades consagradas na formação profissional e no treinamento de trabalhadores, como o SENAC, SENAI e o SEBRAE, além da própria extensão universitária e do Ensino à Distância – EAD, de modo a darmos a oportunidade, a nível local, para a obtenção, a baixo custo, da reciclagem e da formação profissional para o trabalhador e os empreendedores do município de Rio Largo”, informou Edimilson Marinho.

Ele ainda informa que: “Quando não for possível o apoio do PRONATEC ou de outro programa governamental similar, buscaremos a continuidade das parcerias com estas instituições, através da oferta dos seus próprios serviços, com baixo custo para o usuário da CIDS, bem como, o envolvimento de outros parceiros privados, que busquem dar a sociedade a sua contribuição positiva, havendo para tanto incentivos fiscais e outras leis de estímulo aos projetos de interesse social”.

ABERTURA DE PORTAS PARA O FOMENTO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, SOCIAL LOCAL, INTEGRADO E SUSTENTÁVEL:

O acesso ao financiamento também é um dos objetivos da CIDS. Segundo Edimilson Marinho: “Está prevista uma ação junto a Desenvolve Alagoas e a outros parceiros da área financeira, como as cooperativas de crédito e bancos públicos, para que no ambiente da CIDS os empreendedores tenham o acesso a financiamentos específicos para o fomento de seus negócios”. Para ele: “O uso da tecnologia digital permite reduzir custos, eliminar distâncias e burocracias, além da abertura de portas para o acesso a serviços, produtos e insumos necessários à promoção do desenvolvimento econômico e social local, integrado e sustentável das famílias do município de Rio Largo. Esta é a meta última do projeto de inclusão digital da CASA. É o que pretendemos com a CIDS”, afirma o presidente da entidade.

Acesse:

https://www.facebook.com/ed.riolargo

https://edimilsonmarinho.wordpress.com/

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s